30.1.09

Lembram-se do Dirceu Borboleta? (granda maluco!)











Não sabia o que era isto até um grande amigo vir ter comigo e partilhar que a namorada dele, uma rapariga comoventemente tímida e pouco dada a assumir publicamente quaisquer delírios sexuais, lhe tinha dito que queria experimentar a borboleta.

O meu amigo, sempre disposto a grandes cavalarias, ou não fosse ele ribatejano e pronto a alimentar-se em estrebaria alheia, perguntou-me o que poderia eu dizer-lhe sobre a borboleta sexual e de que modo isso poderia ajudar a melhorar aquela relação titubeante.

Exprimi-lhe a minha ignorância, não fazia ideia do que aquela merda era, as únicas associações - básicas, diga-se - que me ocorriam entre uma mariposa e o sexo remetiam-me para o bicho da seda (carrapetas que se podem encontrar neste país em alguns vaginídios que pecam por falta de asseio ou excesso de arvoredo), ou para o lepidóptero já no seu estado adulto, cujas feições se assemelham às do órgão sexual feminino.

Fui por aí. Procurei investigar, perdi-me nos compêndios da vida sexual e acabei por descobrir essa história da borboleta. Fiquei a saber que tem a ver com pôr a boquinha naquilo, sendo que aquilo é a coisa dela, e a boquinha é a nossa, que elas gostam de nós geralmente é calados (embora insistam no contrário).

Pois bem, a arte da borboleta sexual é uma técnica de sexo oral que vai muito além do simples minete, do simples afago bocal do clitóris, da vulva e da vagina da mulher sedenta. A borboleta, diz o marmelo que descobriu esta merda, leva a mulher ao êxtase em pouco mais de dois minutos, e a ter cinco orgasmos de enfiada (salvo seja, porque enfiada ela nunca está). Esta é uma descoberta que, em termos de importância, está no mesmo patamar do teletransporte. É rápido, é barato, e leva-nos a qualquer parte em menos de um cagagésimo de pintelho.

A descrição da borboleta sexual pode ser encontrada aqui, mas se necessitarem de algum esclarecimento, ou se existir alguma leitora que pretenda uma demonstração ao vivo (tal como se faz com a Bimby), só terão de me contactar.

Quanto ao meu amigo, e depois das nossas pesquisas e explicações, lá foi treinar com a namorada, e ao que consta têm estado a aperfeiçoar a técnica. A jovem tímida, noto-a agora mais liberta, sinto que ganhou asas.

Abençoada crisálida!


(O que me parece extraordinário nesta técnica, é associar ao sexo oral os cinco tipos de sons distintos, que funcionam com a passagem do ar, entre os quais o de um besouro, e também de outros insectos! Weird, very weird! Mas muito bom, maravilhoso!)

20 comentários:

**laura** disse...

Lido o post e após ir ver a informação do link que deixaste... não me sinto capaz de comentar. Besouros, borboletas, bico, soprar, e o remate lá no tal link "Quero mostrar um
novo conceito de prevenção"... não, a esta hora não consigo processar esta informação! :P

**

Anónimo disse...

Ahahaha, esta está demais! O problema é que algumas aves raras só querem prazer unilateral. Grandes bicos ou brochadas, como se costuma dizer, e a mulher fica para segundo pleno. Se quiseres prazer comprem aquelas merdas em forma de anel vibratório e sejam autodidacticas ou melhor: estimulem-se sozinhas. Isto é que é uma grande merda!!
Bem... ainda há aqueles ratos de esgoto que nem sabem tocar numa mulher. E os beijos! Nem sabem o que é um beijo de língua. Mas sabem e adoram uma boa brochada!

Um abraço

mf disse...

O que se aprende contigo... Eh eh

Bruno disse...

Pois bem, Laura, espero que à hora em que leres este comentário já estejas capaz de processar toda a informação. A borboleta tem a ver a semelhança física da coisa, o besouro terá a ver com a semelhança sonora, mas o que importa a estética quando o resultado é tão compensador?

Bruno disse...

Anónimo,
É verdade, e isso sucede tanto com homens (segundo me referes), como também com mulheres (conforme posso confirmar-te).

Diz-me, Anónimo, és um desses "ratos de esgoto que nem sabem tocar uma mulher"?

Acho que muitas mulheres têm também responsabilidade quando as coisas não correm bem a esse nível. Uma relação é construída entre duas pessoas, por isso as mulheres devem ser mais proactivas e não esperar que o parceiro cumpra todas as expectativas, quando se calhar ele não faz ideia do que ela aprecia. Tal como o contrários. Mulheres com atitude passiva à espera que os homens façam o servicinho e pelo meio lhes dêem o que elas ambicionam sem que elas tenham de abrir a boca, é chão que deu uvas.

Um abraço para ti também, Anónimo!

Bruno disse...

MF, se há alguém que tem algo a aprender, sou eu. E acredita que teria muito mais a aprender contigo, do que tu a aprender comigo.

Mas sobre esta matéria se quiseres uma demonstraçãol como se costuma fazer com a Bimby, é só dizer.

(o mesmo para ti, Laura...

para ti, Anónimo, não ofereço a minha sessão de demonstração, porque isto é coisa que só faço a pessoas do sexo oposto.)

Pax disse...

Lol (não querendo rir de coisas tão sérias)... já ouvi falar em algo à venda nas sex shops chamado "borboleta". Será que a tal dita cuja batedora de asas a que a moçoila se referia não seria essa?
Mas pronto, interessa mesmo é o resultado e, principalmente, a diversão que se consegue na busca dele :)

:)

Anónimo disse...

Olá Bruno,

Não, não sou "um rato de esgoto". O meu parceiro fica nas nuvens com o meu desempenho, mas não tem a iniciativa de me tocar. Está sempre na passividade e querer mais e mais. Não é falta de comunicação, pois já lhe falei variadíssimas vezes que se ele gosta eu também gostaria que ele tivesse menos preguiça e entrasse em acção. Percebes agora caríssimo Bruno!
Como tudo na vida somos todos iguais e todos diferentes em sinultâneo, mas gostaria que houvesse uma poção mágica para a merda da passividade.
Imagina teres uma parceira que ficaria pavida e serena à espera que tu a acariciasses e ela ficaria a desfrutar o paraíso! Isso dá que pensar! É claro quem nem todos os homens são assim, o que se aplica, também, às mulheres.

Um abraço

Bruno disse...

Pax,
também conheço esse objecto, mas acho que são coisas diferentes, embora o centro de acção seja o mesmo. Essa borboleta é para meninas solitárias ou para casais que gostem de uma mãozinha amiga, esta borboleta é uma técnica altamente inovadora, que proporcionar dois resultados:
- ou o gajo que faz o minete cai no ridículo e a gaja desmancha-se a rir e o gajo fica condicionado pela gargalhada da gaja e nunca mais consegue pôr a periscópio à tona de água...
- ou é a gaja que sobe aos céus e nunca mais quer outra coisa e o gajo pode estar com o periscópio à tona de água à procura da represa e nunca mais o besugo faz viagens ao centro da Terra (sobra o romance de Júlio Verne, para o homem se recordar de como era bom).

Bruno disse...

Olá, Anónimo... obrigado pelo teu comentário...

Se o teu parceiro não gosta de te tocar, se calhar é porque não está acostumado. Está mais preocupado com o prazer que tem do que com o prazer que dá. Anónimo, não percebendo como funcionam as relações entre pessoas do mesmo sexo, creio que se comigo tal acontecesse, e uma parceira minha não tivesse em atenção que as coisas são vividas a dois, se isso sucedesse já lhe tinha dito.

E há formas e formas de o demonstrar. A forma mais indicada é através da palavra (poupam-se sinais que nem sempre são perceptíveis), dizê-lo directamente. Mas há formas e formas de o dizer: há quem simplesmente não saiba que dialogar implica saber ouvir os pontos de vista de duas pessoas, dar espaço para ouvir o que o outro tem para dizer. Muitas relações pecam por falta de diálogo.

Já tive relações com pessoas que gostavam mais de receber do que tinham hábito de dar. Todas as pessoas são diferentes.

Acho que contra a passividade, a solução é dizer o que se pensa. E cada um interpreta essa passividade como entender.

1. Se te sentes bem, Anónimo, com a passividade do teu companheiro, continua com ele.

2. Se isso te incomoda procura soluções.

3. E se não encontrares, volta ao ponto 1...

Pax disse...

Lolololololololololololol

"(...) ou é a gaja que sobe aos céus e nunca mais quer outra coisa e o gajo pode estar com o periscópio à tona de água à procura da represa e nunca mais o besugo faz viagens ao centro da Terra"

Lololololol
Esses teus últimos dois parágrafos estão demais! Lolololol

Mas agora, finalmente, compreendi:
Qual orgasmos múltiplos, qual carapuça! Ela faz é um esforço tão grande para não rir à gargalhada que passa de contrações a convulsões repetidas vezes! Está explicado!

:)

Bruno disse...

Pax, se calhar é isso mesmo. A tipa parte-se a rir e não quer outra coisa.

Pax disse...

E como já alguém disse algures «uma boa gargalhada pode ser tão boa quanto um orgasmo» :)

Anónimo disse...

Bruno,

Tens uma veia de psicólogo! Parabéns! Deste-me a resposta perfeita, ou melhor, sensata. Com "cabeça, tronco e membros"! E olha, meu caro, que percebo de psicologia, mas quando se vive uma situação não é tão linear encontrar uma resposta ou solução! É como estar cego. Percebes? E pedir uma opinião, para mim, é fundamental. Porém, posso dizer-te que sou mulher e não homem.
Mas a culpa é minha, porque não me identifiquei.

Um abraço Bruno e continua pois consegues ajudar sem te aperceberes

Bruno disse...

Anónimo, desconhecia que tivesse veia de psicólogo. Já me disseram que tinha boas veias para dar sangue, já me mandaram ir dar sangue, mas nunca me disseram que a minha veia dava para a psicologia.

Mas se te ajuda, mesmo sem eu saber como, fico satisfeito.

Não fazia ideia de que eras mulher. Sempre pensei que "Anónimo" fosse um nome masculino, como António, Ambrósio, ou Alberto. Mas se és mulher as palavras aplicam-se na mesma. É só mudar o género.

Beijinhos e volta sempre, Anónimo(a)

Anónimo disse...

Pensando melhor ficaria bem na pele de sexólogo. Bem... é uma área bastante interessante, a qual gostaria de tirar. Mas enveredei por outra área que gosto bastante.
Gosto imenso de ler o que colocas nos teus post. Obrigado por existires

Um abraço

Bruno disse...

Já tinha ouvido que a sensação de marcar um golo é equivalente à de um orgasmo. E eu tenho tido muitos, "golos" e "orgasmos", felizmente. Mas não jogo futebol.

Agora que rir é a mesma coisa que subir aos céus com espasmos e cócegas estranhas em momento de turgidez... nunca ouvira tal coisa.

provocação disse...

Portanto, às sextas ofereces-te para demonstrar sexo oral às leitoras que não conheces de lado nenhum, aos sábados rejeitas bêbedas na rua...mmmmm portanto o que te faz destinguir o aceitares uma mulher ou não é o grau no sangue...coerente portanto.

Bruno disse...

Olá, Provocação! Precisas de uma demonstração da técnica da borboleta? Mas antes disso terás de soprar no balão.

Pax disse...

Não digo que é a mesma coisa mas (dependendo da ocasião e da tua necessidade do momento) pode ser igualmente bom :)