1.1.09

Ainda não foi desta que tive uma passagem de ano à minha medida

Ainda não foi desta que passei o ano com ele entalado. Quem bem me conhece, sabe que não sou de embarcar em esquisitices, bacanais ou festas com data marcada. mas a passagem de ano tem aquele je ne sais quoi que desperta em mim a vontade de entrar num novo ano a fazer e distribuir o amor. Sinto-o como um dos grandes imperativos de uma vida, como uma grande peregrinação do amor à procura do novo ano, como o é para um muçulmano a romagem a Meca e Medina para cumprir o grande Hadj.

Das poucas coisas que experimentei e que podem ter semelhanças com esta simbiose entre acto de amor e passagem de ano, nenhuma se comparará com ir às putas. Naquela fase em que elas já só pensam no utente que vem a seguir e encetam uma contagem decrescente capaz de nos deixar de calças na mão... 10... 9... 8... 7... 6... 5... 4... 3... 2... 1...

Que 2009 seja um ano com muito amor para todos vós.

3 comentários:

Patrícia Villar disse...

Que bonito "fazer e distribuir o amor", um mãos largas portanto!

Um 2009 cheio de O amor para ti também.

Beijinhos

Bruno disse...

Olá, Patrícia, obrigado pelos teus desejos, os meus são recíprocos. Sim, considero-me um ser altruísta, um padeiro do amor, fazê-lo e distribuí-lo. Beijinhos.

M. disse...

PADEIRO DO AMOR???? ahahahahahaha bem... o que me ri com isto...
Muito amor para ti também, durante o ano de 2009 e nos vindouros, porque não? :)