9.2.09

Beijos e IKEA










Ensinar uma mulher a beijar é como levar para casa um móvel do IKEA. Perdemos uma tarde inteira antes de podermos desfrutar da mobília.

11 comentários:

Anónimo disse...

Olá Bruno,

Esta foi divertida, a analogia que fizeste entre uma mulher inexperiente e um móvel do IKEA. Ok, tudo bem, pois de certa forma concordo! Porém, também é válido para os homens.
É desanimador quando se vai com toda a tesão beijar quem se gosta e somos presenteados com um beijo da treta. Dá para ficar desolado(a).
Beijo que é beijo dá tesão e recomenda-se treino. Para os mais curiosos podem começar a treinar mesmo que seja com uma peça de fruta antes de a trincar. Ahahaha

Um grando abraço para ti

Cris... disse...

Não te queixes. Ao menos te entretens a montá-la.
A peça.

Pax disse...

Lol. Mas pior, pior é se tu passas uma tarde inteira de trabalheira para no final ela achar que faz melhor vista na sala do vizinho!

;)

Bruno disse...

Olá, Anónimo. Será que é possível ensinar alguém a beijar, tenho-me questionado... É uma questão de sensibilidade, se calhar não é possível endireitar algo que já nasceu torto. Pode-se treinar, mas nada equivale ao beijo real, verdadeiro, sentido, molhado, morno, sensual.

Bruno disse...

Olá, Cris!
Montar é bom. Mas montar antes de beijar é impessoal... Montar a peça, claro. E beijar a mulher.

Bruno disse...

Pax, as peças do IKEA têm muita ciência. No fundo, são como as mulheres. o problema é que as que por cá andam têm pouco de sueco. Acho que deveriam ter um pouco mais, não desprestigiando as nossas. Mas não muito, só os pontos positivos.

alfabeta disse...

Tens conhecido mulheres muito sonsas, não?!

:)

Cris... disse...

Por mim podes montar a mulher e beijar a peça.
Não tenho nada contra gostos estranhos dos outros.
Mas é bom notar essa tua sensibilidade a dizer que montar sem beijar é impessoal.
Claro que se falas de uma mesa, é impessoal mesmo.
Cada um...

Bruno disse...

Alfa(Beta),
é um daqueles conceitos que não consigo entender, o de "sonso".
Felizmente, tenho conhecido muitas pessoas (mulheres, homens) e isso tem-me permitido conhecer um pouco da essência e da forma de pensar de homens e mulheres. Não é grande coisa, mas ajuda-me a saber como entender um pouco menos mal cada pessoa.

Quanto às mulheres, felizmente tenho conhecido muitas e todas bastante diferentes. Quando falava nas suecas, resgatava-lhes algumas características (que nem todas têm), os olhos, os cabelos, a altura de algumas e a postura erecta com que caminham em direcção à vida. E sobretudo, a independência delas. Não aquilo que as mulheres portuguesas consideram "independência" (ter dinheiro, trabalhar, casa própria), não o considerarem que os homens devem estar num plano inferior por não precisarem deles, mas o considerarem-se em plano de igualdade com os homens.

Em geral, não me importa que as mulheres sejam "sonsas" ou que deixem de ser. Importa-me mais que tenham bom carácter.

Bruno disse...

Cris,
beijar, só se estivesse com uma bezana daquelas de fazer levantar um morto, o que não aconteceria.
Quanto a montar... também precisaria de ter uma grande bezana... o que, como bem se sabe dado o meu estado de abstémia desde há uns anos, é impossível.
Estamos a falar do IKEA, certo!?

Cris... disse...

Espero que sim!
Senão, volta à bebida...