9.3.09

Al Gharb















É nesta altura do ano que gosto de rumar ao sul. Outras viagens têm ocupado a cabeça deste escriba, e por isso as escapadinhas andavam há muito a 'escapar' ao roteiro algarvio. Mas desta vez, a pretexto de nada mais do que um fim-de-semana sorridente, partimos com a ideia de paragem em Olhão, para um arroz de marisco e uma caminhada retemperadora pela Ria Formosa. E para tudo o mais que a luz do sol inspirasse.

Quantos milhões de portugueses já invadiram o Algarve, e quantos tomaram a iniciativa de conhecer mais do que umas centenas de metros de areia e algumas ruas apinhadas de barrigas proeminentes ou do som de sinfonias de havaianas a chinelar?

Conheço a ria desde há nove anos e desde então regressei diversas vezes. A Ria Formosa ocupa uma vasta área entre Faro e Vila Real de Santo António. E é uma ria tão formosa, tão formosa, que tem até um aeroporto internacional. E para além das aves de diversas regiões do mundo que vêm "passar férias" à Ria, há também outro tipo de aves, mais pesadas e ruidosas, que trazem no seu ventre outra espécie de aves, raras, que migram com a intenção de banhar ao sol e passar uma época de relax por terras algarvias. Devido à sua idade avançada, a maioria destas aves passou há muito a fase indicada para acasalamento, agora procuram apenas sol.

A Ria Formosa vai-se mantendo preservada e vai resistindo a muito custo à pressão urbanística, mas sabe-se lá por quanto mais tempo. Um pescador de ocasião dizia-me que existem cada vez mais interesses a movimentarem-se para aproveitar esta onda. E falou-me de alguns nomes.

Olhando para o que já está feito, e para o que se vai fazendo, não é difícil perceber que não se aprendeu com os erros e que a tendência deverá ser para construir ainda mais.

Enquanto houver espaço para um pouco de liberdade, eu por lá irei... escapando.

7 comentários:

Pax disse...

:)
Já fiz umas "escapadinhas" (por várias vezes) em Cacela Velha... fantástico mesmo!
No meio de todo o assassinato que se possa ter feito (e faça), há sempre algo de surpreendentemente genuino.
Afinal, já os arabes ali viviam numa especie de caos urbanistico que de caótico nada tinha: tudo tinha um proposito, ainda que nem sempre o consigamos compreender.

:)

Cris... disse...

E desde quando é que o homem aprende dos erros?

Utópico!

heidy disse...

Eu prefiro a calma da ilha da Armona.:) Faro, sinceramente, irrita-me!!!

Bruno disse...

Olá, Cris! Se calhar não aprendemos com os erros. Eu tento errar não duas vezes no mesmo sítio. Mas para isso é preciso que nos chamem a atenção e que saibamos escutar. O problema é que não há gente que queira chamar a atenção, e a maioria das pessoas não gosta de ouvir. E assim os erros vão-se multiplicando.

Sobre o Algarve, estou à espera do dia em que surja um tsunami daqueles que levam tudo à frente para ver o que acontece às figurinhas que plantaram aquelas aberrações mesmo em frente ao mar, em alguns locais.

Bruno disse...

Heidy, a sensação que tenho de Faro é que é uma cidade muito lenta. O Algarve tem cidades muito mais interessantes sob todos os pontos de vista, embora mais pequenas. Mas mesmo assim, são locais a evitar se se pretende algum sossego. Tenho um (ou disponho de um, ou conheço um) refúgio para onde vou sempre quando estou no Algarve. Muito calmo enquanto não chega o verão. Uma terrinha fantástica.

Ana GG disse...

A Ria Formosa é "ainda" um dos nossos trunfos...magnífica. Quero muito acreditar que não a vão devastar como tudo o resto.
É uma pena que o Algarve seja conhecido e conectado apenas com a imagem dos "bifes ignorantes e arruaceiros" e dos "mamarrachos" amontoados e erguidos ao acaso.
Existem retiros fantásticos e pelos vistos tu conheces alguns.

Bruno disse...

Ana GG,
não sou muito seduzível pelo Algarve. Tem alguns recantos e alguns pratos e algumas pessoas que me fazem ir até lá e gostar. Mas para mim deixa de existir entre Maio e Novembro. A melhor época, pelo menos a mais calma, é entre Fevereiro e Maio, quando os dias ficam maiores e mais sorridentes.

Em Portugal, tenho outros pontos de fuga. Gosto muito da bacia hidrográfica do Tejo, tem muito a descobrir. Gosto da Serra da Estrela (principalmente no Verão, já em Setembro, quando tem menos gente, gosto de descobrir alguns trilhos menos conhecidos). Gosto muito da costa alentejana.

E depois há muito por onde partir à descoberta.

Boas viagens!